CRISÁLIDAS

               Crisálidas propõe a inserção do espectador no ‘desvio do branco’ do artista obsessivo, que busca a interação entre suas dores e o público, com a intenção de que este compartilhe de suas vivências e o acompanhe em seu processo de expiação. A proposta se realiza através de obras sensoriais que transformam cada espectador em personagem de uma narrativa em construção.

               A partir de objetos carregados de simbolismo e impregnados de complexas emoções, Francisco Brandão se oferece ao espectador e o convoca a entrar em seu universo íntimo, numa partilha que, em sintonia com as provocações da arte interativa, retira o sujeito do conforto e da passividade da mera contemplação para se arriscar no campo minado dos sentimentos mais profundos, das obsessões e traumas.

              O que o artista proporciona ao público é uma experiência completa de sensações que envolvem tanto pelo ambiente em si – que remete simultaneamente a espaços privados e sagrados, como a casa e o templo – quanto por colocar o espectador em ação, tornando seu corpo sensível parte integrante da obra.

             A exposição aborda as relações entre o Eu e o Outro, e destes com o espaço, rompendo com as limitações da tela, ao expor as cicatrizes de um  processo de enfrentamento com o suporte – primeiro violado, depois reconstituído e enfim ressignificado como escultura/pintura – para demonstrar as potencialidades plásticas de espaços e objetos cotidianos.

 

Pró-reitoria de Cultura